10 de novembro de 2011

headphones on

Há quem não viaje porque não tem tempo, tem medo de aviões ou tubarões, não tem dinheiro. Balelas digo-vos eu: só não viaja quem tem preguiça, quem não sonha!
Para viajar levo uma e só uma coisa na mochila: a réstia de imaginação que o meu crescimento não consumiu que confesso ser microscópica.
E então fecho os olhos...
À minha volta já não está uma fila de carros barulhentos e sim um grupo crianças brincando a imitar os ruidosos sons dos elefantes . O que oiço na rádio já não são as más notícias que os media insistem em transmitir e sim um recitador de poemas a dar voz ao Pessoa, "viajar, perder países..". A discussão do casal ao meu lado passa a uma animada conversa em mandarim entre dois turistas que apanham sol deitados aqui. Este lixo no chão são no meu novo mundo adereços para um filme que estão a gravar e os meus ténis só estão ensopados porque fui há pouco experimentar aquela água cristalina!
E com isto 15 minutos de viagem a um destino à escolha bem mais bonito que este chuvoso e cansativo final de tarde. Os 15 que fiquei à espera do autocarro.
Não paguei bilhete, não faltei às aulas, não apanhei nenhum avião e nem mala tive de fazer ou desfazer! Ok, "Fia, mas isso não foi viajar a sério", dizem vocês.
Não? Nem reparei...

Este foi pelo incentivo da

4 comentários:

  1. ao meu lado (...) ao meu lado.

    ResponderEliminar
  2. Não foi viajar a sério mas decerto serviu para te levantar o astral. Haja imaginação e podemos ter tudo. Essa pelo menos ainda não paga imposto nem é paga

    ResponderEliminar
  3. sim, sei que não é bem uma viagem, mas fica um segredo Brown Eyes ;)

    obrigada pela correcção anónimo :)

    ResponderEliminar
  4. Hum... achei graça à ideia mas acho que eu iria "regressar" dessa viagem com imensa tristeza e pena por não ser real... Em vez disso, prefiro apreciar a piada e beleza (!!!) das cenas que se desenrolam à minha volta...

    ResponderEliminar

Não esquecer de pôr o nome ^^